Conceitual

BELEZA – Vaidade ou Escravidão

A busca pela forma perfeita alavancou a área estética e a indústria cosmética, trazendo diversos benefícios tecnológicos para o embelezamento corporal e facial.

Visualizam-se imagens perfeitas na televisão, revistas, outdoor, em todos os meios de comunicação. A indústria criou neste novo século um padrão de beleza incompatível com a realidade para muitos, onde uma boa impressão visual é cobrada. Uma boa alimentação e tempo para dedicação em cuidados pessoais estão escassos. As pessoas que estão no mercado profissional, alimentam-se mal com as variedades de comidas prontas e rápidas industrializadas, perdendo tempo e energia se locomovendo para todos os lados, em trânsitos e divertimentos pouco saudáveis.

A busca pela perfeição corporal e facial induz as pessoas a recorrerem a diversos procedimentos estéticos, como cirurgias plásticas, produtos cosméticos e farmacêuticos, até milagrosos equipamentos.

No mundo moderno a ansiedade de fazer parte do grupo de imagem ideal, as pessoas desenvolveram distúrbios psicológicos. Com receio de engordarem algumas pessoas induzem o vômito (bulimia) e deixam de se alimentarem rigidamente atingindo um quadro de anorexia.

O que ocorre é que as pessoas estão sem referencial estético, idealizando imagens criadas muitas vezes pelo mercado, com interesse de desenvolver novos consumidores, onde certas cirurgias ou estilos de roupas são momentâneos e criados para vender sucesso.

Muitas pessoas acreditam que para atingirem uma melhor posição profissional tem que estarem impecáveis no padrão imposto, esquecendo-se do seu estilo próprio e características pessoais.

Estilo cada um tem o seu, sendo a soma do todo, englobando o estético e o comportamental, expressando a identidade visual individual, deixando marcada essa pessoa em suas características.

As pessoas sacrificam-se fisicamente para obter esses resultados estéticos, muitas vezes lesando o corpo, além dos problemas psicológicos que essas pessoas adquirem que são diversos, deis de uma ansiedade até depressões profundas, evitando o mundo e trazendo problemas futuros.

O desejo de serem belas ou adequadas com as tendências fazem-nas buscarem imagens opostas do que são incorporando personagens, impondo-se de forma artificial e submetendo-se a situações de riscos.

O estilo pessoal é único, cada pessoa é constituída pela mistura de características pessoais, físicas, comportamentais, intelectuais, etc.

O Visagismo é um conceito porque faz a pessoa sair de um padrão, personalizando a Imagem visual com a personalidade e o estilo pessoal, que são revelados em leituras individuais extraídas durante a consultoria Visagista.

O estilo é composto por diversos detalhes e gostos pessoais, sendo aprimorados no trabalho de adequação da imagem desenvolvido por um CONSULTOR VISAGISTA.

FONTE: www.flavyohamos.com.br

Visagismo – A visão de Rodrigo Banqueri

Estamos mais que envolvidos nesse novo conceito que contagiou o Brasil, sendo o país referência em aprimoramento e atualizações crescentes na Consultoria Visagista. São diversos profissionais de diversos segmentos em busca de trazer a Imagem ideal e agradável harmoniosamente para seus clientes.

A Imagem pessoal não engloba só o estético, mas também o comportamental expressando o estilo e o caráter do indivíduo. Com o mundo globalizado, o envolvimento pessoal é exigido pela sociedade, que rege como fundamental a Boa conduta e Boa Imagem.

Como toda evolução, as modificações dos conceitos vão criando diversas dimensões e criando várias notoriedades. A busca da adaptação do novo com as experiências já vividas se somam com as necessidades mercadológicas que resultam em novas ideias e PONTOS DE VISTA.

No Brasil, muitos são os propulsores e pesquisadores desenvolvendo seus conceitos em cima das suas experiências e atividades, lançando ao mercado suas ideias e dando corpo ao Visagismo com a diversidade de conteúdos.

Um conceito que iniciou por meio de correções faciais, retrocedendo a estudos milenares e dando coerência com tudo que temos de mais moderno entre técnicas e utensílios no “MEGA” MERCADO DA BELEZA.

Hoje contamos com uma interdisciplinaridade interagindo a favor de atingir a BELEZA PLENA, onde cada especialidade harmoniza a Imagem com as características físicas e a personalidade individual, trazendo uma imagem adaptada para o indivíduo em seus contextos. Podemos correlacionar nossos serviços com DENTISTAS, GIRURGIÕES PLASTICOS, HAIR STYLIST, MAQUIADORES, PERSONAL STYLIST, NUTRICIONISTAS, entre outros profissionais relacionados à Imagem pessoal que se aperfeiçoaram tornando-se TÉCNICOS VISAGISTAS.

Nós Consultores Visagistas adaptamos a Imagem de nossos clientes com seus estilos pessoais, que envolvem suas personalidades, tipos físicos, desejos e necessidades, por uma analise critica e profunda em uma consultoria, pesquisas para desenvolvimento de projetos, que unirá todas as técnicas para serem utilizadas e remeterem as informações necessárias subliminares.

O Consultor Visagista elabora fichas técnicas contendo toda a estrutura da base da composição da Imagem, entre formas, formatos, linhas e cores, que farão a harmonia estética que é a essência do BELO. Essas fichas técnicas serão executadas por técnicos Visagistas que decodificarão todas as informações e expressarão em forma de imagem.

O Consultor Visagista será um arquiteto da beleza estética, obtendo como referência a obra DIVINA que é a Identidade Visual, sendo o Rosto Humano. Revelando o intimo em um trabalho personalizado, buscando de dentro a Imagem real do estilo próprio.

“A pessoa que encontra si plenamente, se reconhece e transmite a coerência do seu verdadeiro ser, fortalecendo seus contatos e atividades pelo o poder da AUTOESTIMA”.  Rodrigo Banqueri

 FONTE: www.flavyohamos.com.br

Análise Facial Parcial – Expressões relacionadas à mentira

Em épocas remotas onde a comunicação era feita por gestos e expressões corporais, já existam às mentiras, sendo forma de sobrevivência e distrair a concorrência. Por exemplo, indicar o lado oposto das melhores caçadas. O homem sempre se utilizou dessas artimanhas para se dá bem, ou não se dar mal.

Existem vários tipos de mentiras, as com a finalidade de ter vantagens ou para fazer o mal, prejudicando os outros. É muito comum pessoas falarem mentiras sobre outras pessoas, para tirar elas de seu caminho, pegando o ponto fraco dos seus ouvintes, manipulando-os para seus interesses pessoais. Como dizia minha sábia avó, “Quando José falar mal de João… Fica de olho em José”.

No mundo dos negócios é comum existir mentiras para despistar ou desestimular seus concorrentes, muitas vezes com boas intenções, é até saudável para quem pratica. É muito importante sabermos identificar sinais verdadeiros em uma mentira, para não sermos influenciados por maus caráteres.

Em expressões corporais são reveladas movimentos que não correspondem com o que a pessoa estar dizendo, também tendo sinais expressos em feições faciais e conotações da fala. Quem mente não consegue ao mesmo tempo desenvolver a mentira e controlar seu corpo, e a mente sempre vai emitir para o corpo sua verdadeira intenção.

O rosto contém expressões faciais, que foram desenvolvidas pela evolução, em feições como forma de comunicação, sendo o rosto a região que mais se expressa inconscientemente. Os olhos e a boca são elementos faciais com fortes indícios da comunicação verdadeira. Os olhos revelam o estado emocional das pessoas, sendo a Iris o centro da comunicação emocional, vibrando e brilhando durante situações excitantes e dilatam em momentos de atenção, tornando esta região a janela da alma, revelando exatamente a intenção do indivíduo.

A boca transmite sentimentos, sendo visivelmente as vontades e desejos momentâneos, expressos nos lábios e suas projeções, sendo explícita a raiva, alegria, tristeza e surpresa.

O Rosto contém 43 músculos faciais, a maioria responsável pela as expressões faciais. Nenhuma feição relacionada ao pensamento é manipulada por vontades próprias, elas são expressas pelo inconsciente de maneira a complementar a comunicação, deixando-a confiante. Quando as pessoas expõem e criam uma mentira, suas feições revelam o que a pessoa esta tramando, sendo sinais que podem demostrar incompatibilidade.

Os sinais podem mostrar o momento que a pessoa esta elaborando uma situação, sendo revelado por feições, modo de falar, pausas entre as palavras, posicionamento do olhar, quando não quer estender as conversas e entre outros sinais. Com este conhecimento, podemos captar simulações falsas e contraditórias.

Instintivamente nós seres humanos temos sensibilidade em reconhecer a mentira intuitivamente. Com o conhecimento de alterações faciais podemos identificar melhor as dissimulações. Vão algumas dicas de como analisar feições relacionadas à mentira, obtidas em um estudo Visagista, pelos profissionais do CENTRO DE PESQUISA A.N.V.

Estudo expressões básicas

Alterações faciais relacionados à mentira.

– MEDO: As sobrancelhas se elevam e se aproximam, as pálpebras superiores se direcionam para cima, as inferiores ficam tensas, os olhos se arregalam, os lábios se esticam horizontalmente.

– TRISTEZA: As pálpebras superiores caem, os cantos dos lábios ficam voltados para baixo.

– NOJO: O nariz se franze, as bochechas ficam puxadas para cima, o centro do lábio superior se eleva.

– ALEGRIA: Os músculos próximos aos olhos se contraem, as pálpebras se fecham um pouco, os cantos da boca se voltam para cima, o sorriso é verdadeiro.

– DESPREZO: Apenas um dos cantos dos lábios se volta para cima, sempre um lado perde a simetria com o outro.

– SURPRESA: As sobrancelhas se elevam, as pálpebras ficam abertas, a mandíbula cai.

– RAIVA: As sobrancelhas abaixam e se aproximam, as pálpebras se abrem, os lábios se estreitam e são pressionados para dentro.

FONTE: Revista VEJA – ano 47 – n° 02.

ANÁLISE PARCIAL FACIAL HOMEM VITRUVIANO

ANÁLISE PARCIAL FACIAL – HOMEM VITRUVIANO

1

Homem Vitruviano

O rosto é objeto de estudo por muitas sociedades, desde as épocas remotas. Algumas civilizações buscavam descobrir semelhanças entre as partes que o corpo tinha em proporções diferentes entre si, onde partes menores multiplicadas davam o tamanho de um todo da outra parte.

Os Vitrúvios eram uma sociedade muito antiga e foi objeto de estudo por Leonardo Da Vinci, esta comunidade tinha como base principal de medição os pés, onde cada parte do corpo humano tinha certa quantidade relacionada ao tamanho do pé. Leonardo Da Vinci obteve este conhecimento em suas pesquisas de proporções humanas, por registros deixados por pessoas desta sociedade. Da Vinci criou uma obra demostrando às proporções humanas de uma forma matemática, o Homem Vitruviano, unindo o conhecimento de Phidias e Fibonacci sobre o número áureo e de outras obras de arte desenvolvidas por outros Gregos. Esta obra te deu o título de um dos maiores artistas que constituiu imagens harmoniosas. Deu o nome dessa sociedade em sua obra, por ser uma sociedade que tinha grande descobertas de proporções corpóreas.

O conceito das proporções áurea no corpo humano, deu inicio ao Renascimento Italiano, no século XV, conduzindo outros artistas a desenvolverem diversas obras de arte.

O Homem Vitruviano de Da Vinci é baseado em um dos livros da série De Architectura do arquiteto Romano Marcus Vitruvius Pollio. Série de dez livros de tratado de arquitetura em que, no terceiro livro, ele descreve as proporções do corpo humano masculino.

O desenho demostra a simetria básica do corpo humano, envolvido no universo como um todo. A área do quadrado e do circulo se encaixam, de uma forma, a se envolverem e contiver a mesma proporção, criando um símbolo matemático com a proporção irracional phi = 1,618.

Algumas tentativas de Vitruvius de encaixar as proporções do corpo humano dentro de um quadrado e de um círculo ficaram imperfeitas. Com o conceito de padrões matemáticos, foi que Leonardo Da Vinci desenvolveu o Homem Vitruviano.

Este desenho famoso foi feito nos anos 1490, revelando uma figura masculina nua, com duas posições simultaneamente sobrepostas, onde uma tem os braços em posições abertas horizontalmente com os pés unidos e o corpo ereto. As pontas das mãos e a altura entre os pés e cabeça definem o seu tamanho dentro de um quadrado. E a outra figura com as pernas abertas e braços abertos inclinados diagonalmente, de uma forma a representar o circulo. Suas extremidades dos pés e mãos tocam os dois formatos geométricos, criando a harmonia entre o HOMEM e O ESPAÇO. O desenho faz parte da coleção da  Galeria da Academia em VenezaItália.

A combinação das posições formam algumas posturas diferentes. O corpo cria uma posição reta e séria e a outra uma posição mais dinâmica pelo efeito de movimento em formato de X. O Verdadeiro centro da figura é o umbigo, representando a gravidade, quando fixamos os olhos nele, temos a sensação de o desenho estar em constante movimento.

O desenho e o texto são chamados de Cânone das Proporções, pois foram desenvolvidos em uma agenda, em busca de desvendar os mistérios dos Vitruvianos.

 

2

 

Analise Facial Parcial

A cabeça do Homem Vitruviano ocupa um MDV (Módulo Da Vinci), que é calculada como sendo um oitavo da altura total, onde o corpo também se encaixa no MDV em proporção maior. Em todas suas obras, Da Vinci se utiliza desta medição, denominada MDV, enquadrando figuras e elementos de suas obras de uma forma a criar harmonia no quadro, tendo uma boa distribuição, agradando os olhos dos expectadores. Todos os seus quadros, tem esta medida na composição, muitas vezes até mais de duas medidas.

Sua base é definida da seguinte forma;

– Quadrado: Lado = 1,0un.

– Circunferência: Raio = 0,618un.

– Ponto de tangência – centro do quadrado.

 

3

 

O rosto do Homem Vitruviano têm alguns segredos, após as informações ficam mais evidente os detalhes, e com isso descobrirmos que a leitura facial sempre foi fonte de estudo, onde Da Vinci demostrou detalhes intencionais, revelando a importância desta identidade visual. Analisaremos por partes.

– A face é dividida em três partes, superior, mediana e inferior, sendo mais visível na foto original à demarcação do próprio Da Vinci, sendo demarcado em nosso estudo por linhas brancas, para demostrar o local e também intensificar que nós Visagistas, nos apropriamos desde conceito milenar, que foram parâmetros de estudos utilizados pelos fisiognomonistas.

– Quando o conceito da ANALISE PARCIAL FACIAL é aplicada, observamos uma grande assimetria entre os lados da face, com uma diferença na região ocular mais perceptível, onde um olho é direcionado para cima e o outro para baixo, tendo também assimetria em outras regiões. Na Consultoria Visagistas analisamos esta ocorrência nos clientes, reconhecendo o seu lado SENSUAL e SÉRIO de cada pessoa, classificando-os como o lado EMOCIONAL e RACIONAL respectivamente.

– No pescoço do Homem Vitruviano na foto original, caracteriza um pescoço forte de um homem maduro, feito pela técnica de sombreamento da luz sobre a musculatura, sendo um pescoço compatível com a expressão forte do rosto. Mas quando o pescoço é projetado pelo efeito de espelhamento que criamos na foto, demostrando como fica a união dos lados do rosto, são reveladas duas características muito interessantes, nas duas fotos genéricas que desenvolvemos, confirmando que ouve uma intenção de criar dois rostos além do original na obra. Nosso estudo mostra que o estudo facial realmente é muito antigo e a importância que as sociedades tinham em busca da expressão facial. Acreditamos que os artistas em sua educação, tinham estes conhecimentos transmitidos, pois as informações contidas na obra de Da Vinci, entre outros artistas, revelam que eles eram muito mais avançados na questão de leitura facial do que os profissionais dos dias atuais. Com a riqueza de informações, deparamos com muitas informações que são contidas no Visagismo, que vem se estruturando desde 1936, desenvolvido por Fernand Aubry.

– Da Vinci, criou algumas assimetrias no rosto deste desenho, sendo estudada por muitos especialistas. O rosto quando dividido e espelhado revela três rostos diferentes, quando cada lado da parte do rosto, une ao seu correspondente.

 

Para correlacionar os formatos de cada rosto, foi utilizada apenas a percepção visual, como não é um rosto real e sim uma figura, e mesmo assim, não podendo ser apalpável, apenas será analisado e revelado o formado do rosto externo, que expressa à imagem visual. Como este estudo esta demostrando três rostos contidos na mesma obra, a pesquisa demostrará informações sobre todos. Dividiremos os em rosto em Original, DD (lado espelhado direito) e EE (lado espelhado esquerdo).

 

ORIGINAL:

4

Formato: Quadrado – Largura igual à altura.

Rosto com as mandíbulas e a testa muito expressivas, criando extremidades. Este rosto contém muito elemento anguloso, tornando-o um rosto de imagem forte e com assimetrias. O rosto original é de um adulto com expressão facial de seriedade e o comportamento pensativo, com uma feição leve. Seu olhar e de uma pessoa solitária, sem foco.

Sendo perceptíveis as demarcações comentadas, desenvolvidas pelo Da Vinci, fortalecendo a importância do estudo dessas partes.

 

DD: Direito espelhado

5

Formato: Hexagonal de base reta – Largura maior que altura.

Rosto com o zigomático e queixo mais salientes e as linhas de expressões mais acentuadas, caracterizando uma imagem madura. Para reforçar o avanço da idade, o tecido e músculos faciais sofrem o efeito da gravidade na figura. Seus cabelos são mais ondulados e desorganizados.

O lado direito do desenho é espelhado e revela um rosto de um homem velho, com expressão facial de compreensão e observação, com o comportamento rígido, característico da idade. A feição é mais forte.

Seu olhar é de quem esta fazendo varredura.

No pescoço é perceptível o desenho de um Morcego, sendo proposital para demostrar que o homem maduro tem a mesma agilidade e mansidão de um morcego, sem precisar usar força.

 

 

EE: Esquerdo espelhado

6

Formato Triângulo Invertido – Testa maior que o queixo.

Rosto com elementos faciais mais suaves, pouco ângulo e marcas de expressões. Cabelo com cachos mais suave e organizado.

O lado esquerdo do desenho é espelhado e revela um rosto de um jovem, com expressão facial de curiosidade e desconfiança, com o comportamento reservado e quieto. Feição muito leve.

Seu olhar é focado e intenso.

No pescoço é perceptível o desenho de um Touro, demostrando a força e brutalidade de um jovem.

 

Esses efeitos são devido à assimetria produzidas pelo efeito de sombreamento que Da Vinci criou, com a intenção de representar a passagem do tempo passado, presente e futuro.

 

 

Essas são as medidas retiradas do 3° livro de Marcus Vitruvius Pollio, que mostra a relação dos corpos humanos. Estas medidas são consideradas harmônicas na imagem, podendo ser meios de parâmetros para analise da Imagem Pessoal e informações para serem utilizadas em adaptações para o equilíbrio das características físicas.

Medidas entre proporções.

  • Um palmo é o comprimento de quatro dedos
  • Um  é o comprimento de quatro palmos
  • Um côvado é o comprimento de seis palmos
  • Um passo são quatro côvados
  • A altura de um homem é quatro côvados
  • O comprimento dos braços abertos de um homem (envergadura dos braços) é igual à sua altura
  • A distância entre a linha de cabelo na testa e o fundo do queixo é um décimo da altura de um homem
  • A distância entre o topo da cabeça e o fundo do queixo é um oitavo da altura de um homem
  • A distância entre o fundo do pescoço e a linha de cabelo na testa é um sexto da altura de um homem
  • O comprimento máximo nos ombros é um quarto da altura de um homem
  • A distância entre a o meio do peito e o topo da cabeça é um quarto da altura de um homem
  • A distância entre o cotovelo e a ponta da mão é um quarto da altura de um homem
  • A distância entre o cotovelo e a axila é um oitavo da altura de um homem
  • O comprimento da mão é um décimo da altura de um homem
  • A distância entre o fundo do queixo e o nariz é um terço do comprimento do rosto
  • A distância entre a linha de cabelo na testa e as sobrancelhas é um terço do comprimento do rosto
  • O comprimento da orelha é um terço do da face
  • O comprimento do  é um sexto da altura.

Obs. Côvado é a primeira forma de medida, muito utilizada pelos antigos, existem diversas medidas para cada civilização, a mais comum e aceita é que um côvado é uma medida igual da ponta do dedo médio ao cotovelo. As primeiras medidas eram referências do corpo humano, como palmo e pé, surgindo os passos, polegadas, entre outras existentes. Pitágoras dizia que – “O Homem é a medida de todas as coisas”

Este estudo serve para demostrar algumas formas de analisar um rosto, sendo em uma Consultoria muito mais complexo. Nós nos utilizamos de algumas técnicas para demostrarmos a lógica de uma analise facial na obra de Da Vinci. Em desenhos também se usam características faciais para transmitir estilos pessoais, comportamentais, étnicos e psicológicos no desenvolvimento da obra.

Muitas informações que podemos retirar em uma consultoria, nos revelam atributos pessoais e íntimos, nos ajudando a conhecer melhor com quem nos deparamos. Em uma figura, as características que nos levam a percepção visual, muitas vezes são intencionais. Quando temos uma cliente com todo seu histórico de vida, só a leitura facial é pouca para conhecê-la, podendo-nos levar a erros de analise pessoal.

A imagem abaixo demostra melhor a comparação entre todas as fotos.

7

 FONTE: www.flavyohamos.com.br